quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Meus carrinhos













Hoje já não tenho mais meus carrinhos
Suas rodinhas se perderam por entre
Móveis vermelhos que o tempo também já levou
Hoje já não tenho meus brinquedos
E não é o mesmo também meu sorriso
E, nem tudo é fácil e prazeroso com era há pouco tempo atrás
Hoje já não tenho a inocência que tinha
E a capacidade de me preencher com coisas bobas
Meus sorrisos são mais exigentes
Minhas atitudes mais conservadoras
Embora muitas vezes extrapole
E ignore as regras deste sistema
Embora às vezes eu fuja às minhas responsabilidades
Claro! É extremamente difícil encarar o real...
As tardes de domingo na roça ou nos parques
Tornarem-se apenas lembranças
E fotos velhas que já se desgastaram de tanto serem olhadas
Essas tardes foram extintas
Embora o parque continue lá, no mesmo lugar
Às vezes o domingo amanhece lindo com sol irradiante
E céu azul sem nuvem nenhuma
E a gente nem pode notar
Hoje eu já não tenho meus carrinhos
E ainda que os tivesse
A perversidade com que nos olha o mundo
Nos impediria de brincar . . .

2 comentários:

  1. Incrível.
    Talvez por ser adolescente e há muito pouco tempo ter deixado de ser criança, às vezes acho muito triste essa mudança, essa transformação, quando a gente simplesmente não pode mais gostar das mesmas coisas de antes, só porque cresceu. Mas ficar lembrando me deixa meio nostálgica. Sinto falta daquele tempo.

    ResponderExcluir
  2. Creio que todos nós Lethicia passamos por isso!

    ResponderExcluir