terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Cautela















Pensa o que que quiseres
lembra do que desejares
recorra ao que te possas dar o que não mais poderei
Não te perturbes com meu silêncio...
não me busques no óbvio,
quando posso estar em Marte, Júpiter ou Vênus...
Eu me calo ao passo que meu silêncio grita, berra, reclama
a injustiça que às vezes não percebemos...
falar pra quê???
quem fala menos, erra menos!!!

4 comentários:

  1. Gostei do seu blog, viu! Vou segui-lo tb.

    Aproveito para desejar um Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir
  2. Thaiane Athanásio3 de janeiro de 2011 20:26

    "De tudo o que se escreve, só me agrada aquilo que é escrito com sangue".

    A resposta que se busca no outro está sempre nós. O falar menos é doer menos para quem está acostumado a ouvir a indiferença. A descoberta de algo, tanto pelo silêncio quanto pela fala pode ser assustador... e, quem sabe, libertador.

    "Você nunca mais voltou. Me deixou sozinha. Com meias palavras, meias verdades." Hahaha!

    Beijão, querido. Sempre bom passar por aqui.

    ResponderExcluir
  3. Tenho vivido de meias querida! rs Te liguei a meia noite de meias e vc não me atendeu! rss beijos

    ResponderExcluir
  4. Thaiane Athanásio3 de janeiro de 2011 21:37

    As minhas meias se perderam na nossa ligação. Chamada incompleta. Metade de mim agora é assim.

    ResponderExcluir