domingo, 13 de setembro de 2009

Amor para um soneto


Nem por teus olhos azuis
Nem tua boca provocante e carnuda
Nem tua pele macia, que sem laços
toda a tua beleza desnuda

Nem são tuas palavras doces
Nem teus cabelos esvoaçantes
Nem ainda teus gestos mais puros
que trazem a tona verdades emocionantes

Nem por tua força de menina
Ou tua coragem de enfrentar
Inimagináveis desafios

Estás em mim desde sempre e para sempre
Porque és mistério e mistério no ar
A perder-se nos longos e lindos assovios...

A ti não dedicarei nenhum livro
Nem poema, sequer um soneto
Para mim, tu não cabes
Em dois quartetos e dois tercetos
_________________________
(és mais que amor para um soneto...)

3 comentários:

  1. oh my God ... que palavras ... bem equivalentes à beleza destes olhos ...

    aff

    ;-)

    ps: respondi ao seu coment sobrre a comparação sobre nossos blogs ... ah! quem me dera ter o poder q vc tem sobre as palavras ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  2. Metendo uns poemas românticos hein eehe

    ResponderExcluir