domingo, 3 de abril de 2011

Procura
















Toda criança sabe em si o sentimento amor
Sabe! Em cada movimento que faz
Passada essa fase, vai-se o encanto
O sorriso, pende-se ao pranto
E amor, não se acha mais
Quando criança,
O sorriso é fácil, espontâneo
O adulto inventa sorrisos
Amar: desafio do contemporâneo
O sorriso diminui à medida em que se cresce
Crescer, requer vitamina
Ao passo que contamina!
Nesta dura proporção absurda
A paixão aponta uma esperança
Mas paixão, costumeiramente se apaga
Nesse momento nasce um filho
E um novo amor se propaga...
Mas o amor pertence a um ciclo
Seu mediador seja talvez o deus-tempo
O filho cresce, e o desamor reconhece...
Tudo então é artificial, como um ensaio de dança
Seria o canal do amor, apenas a criança?!
Talvez, mas não tome isso
Como verdade para sua vida
Esqueça o sono que te pesa as pálpebras
E venha idealizar a busca por essa loucura
Me tenha nos braços e perceba: amor é procura!

5 comentários:

  1. Oi, voltei p/ agradecer por vc me seguir. Fiquei contente. Tem já um tempo que te sigo. Eu gosto muito de poesia e acho que achei seu blog procurando alguma. então gostei e fiquei. Coloque seu blog em minha lista de blogs prediletos. Vc escreve muito bem.

    Seja bem vindo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Perfeito né, pra variar. Tudo colocado perfeitamente em lindas palavras.
    Sempre digo que crianças são pitadas de alegria e inocência em meio ao caos.
    Bom...aquelas que não são chatas rs!

    ResponderExcluir
  4. Boa noite.

    Lindo poema.

    Um grande abraço.
    Maria Auxiliadora (Amapola)

    Estou lhe seguindo.

    ResponderExcluir